As lições de mamãe (da série "Das cinzas a renascença")


O sol estava nascendo, ou talvez estivesse morrendo. Não lembro ao certo. Tudo que me vem em mente são as palavras, por causa da força que elas continham, da vitalidade presente nelas. E essas palavras vieram até mim, como um alerta. Mormente, na época eu não sabia, e tratei-as como inimigas.

"Victor, isso não vai dar certo! E não é porque eu não quero! É um fato! Você está reduzindo a sua alma a cacos, e isso é tortura! Se você não cabe no íntimo de alguém, NÃO TENTE HABITAR LÁ!"

Desprezei-as!
Ridicularizei-as!

Usei essas palavras como um elixir para eu continuar... Continuar no caminho da tortura... Continuar com as correntes que me machucavam... Continuar e continuar... Em um caminho que eu não sabia, conscientemente, onde daria.

Usei da minha alma rebelde, enquanto fazia dela cacos...

"Victor, isso não vai dar certo! Isso é um fato!"

Fiz apostas nas quais eu sempre perdi. Joguei com dados viciados que sempre prejudicavam a mim. Rasguei páginas minhas, para que minha história coubesse na sua, e minha alma pudesse dançar com você.

"Victor, não se reduza! Esse não é você!"

No fim esses dados me quebraram, não tinha mais controle sobre os meus cacos. Aquele jogo nunca havia sido controlado por mim, ele tinha sido feito para me destruir. 

Escapei
Sobrevivi

Olhei nos olhos dele e disse:

"Victor, não se reduza! Isso não é para ti!"

Caminhei entre meus cacos, com passos determinados. Cheguei nela e me curvei, baixando minha cabeça.

"Obrigado pelo alerta! Quando eu estava um caco percebi, que aquilo nunca foi para mim!"

Juntei os meus cacos...
E as lições guardei para nunca serem esquecidas...

                                                              Victor dos Anjos


Twitter e Instagram: @poesiadosanjos

Comentários

Postagens mais visitadas